Habilite um sistema 32 Bits para trabalhar com mais de 4GB de RAM! (Xp e 7 – Aprovados!)

160x600

Entenda como processadores e sistemas operacionais x86 de 32-bit não apenas podem trabalhar com mais de 4 GB de memória, como podem fazê-lo desde o Pentium Pro!

A conta é simples. Cada bit pode representar dois estados distintos: ligado e desligado.

Então, em um processador 32-bits temos:

232 = 4.294.967.296 posições de memória.

Cada posição de memória corresponde a 1 byte (8 bits). Ao conjunto de 1024 bytes, dá-se o nome de kilobytes (kB). Logo:

4.294.967.296 / 1.024 = 4.194.304 kilobytes (kB)

Ao conjunto de 1024 kilobytes, dá-se o nome de megabytes. Então:

4194304 / 1024 = 4096 Megabytes (MB)

E, finalmente, ao conjunto de 1024 megabytes, dá-se o nome de gibabytes (GB).

4.096 / 1.024 = 4 Gibabytes (GB)

Sim, este é o limite físico de endereçamento de memória para um típico processador de 32-bits.

Porém, nos idos de 1995, a Intel lançou o revolucionário processador Pentium Pro, que extendia o endereçamento físico de 32 para 36 bits. Em teoria, isso permitia endereçar até 64 GB de memória RAM em computadores equipados com estas CPUs, mesmo que o processamento em si, fosse feito em 32 bits. Este esquema passou a ser conhecido como PAE (Physical Address Extension) e todos os processadores das gerações posteriores passaram a incluí-lo.

Porém, para se fazer uso de todo este potencial de endereçamento de memória, deve-se, obrigatoriamente, utilizar um sistema operacional capaz de trabalhar no modo PAE, caso contrário, toda memória além dos 4GB não será utilizável. Atualmente, todos os sistemas operacionais modernos são capazes de operar no modo PAE em processadores de 32-bits com este suporte. FreeBSD, Linux e Mac OS X (para processadores Intel) suportam o PAE sem grandes problemas. A confusão mesmo é com o Windows…

Windows 32-bits e o limite de 4GB de memória RAM

Teoricamente, usuários do Windows não deveriam recorrer às versões de 64-bits do sistema para poder utilizar mais do que 4GB de memória RAM, já que as versões de 32-bits do sistema suportam o PAE desde o Windows 2000.

Porém, segundo Geoff Chappell, um renomado analista de software, o limite de 4GB existe não por uma questão técnica das versões de 32-bit do sistema, mas porque a Microsoft não licencia estes sistemas para utilizar mais do que esta quantidade memória. A afirmação tem sua razão de ser: as versões de 32-bit do sistema destinadas a servidores (Windows 2000/2003/2008 Server) todas suportam mais do que 4GB de RAM e, essencialmente, não diferem, no núcleo, de seus irmãos para Desktop (2000, XP, Vista e Seven).

Fellow Mark Russinovich, um técnico da Microsoft, afirma que há uma outra razão para a imposição do limite de 4GB para as versões “Desktop” do sistema: a instabilidade de alguns drivers de dispositivo quando instalados em posições de memória acima dos 4GB.

Independente da razão, a limitação está lá e, mesmo ativando o modo PAE, as versões Desktop do Windows não são capazes de trabalhar com mais de 4GB de memória RAM. No máximo, corrigem a irritante informação de que o sistema tem 3.2, 3.5, 3.8 GB de memória RAM ou algo do tipo.

Aliás, este “report” ocorre por que o Windows reserva parte do endereçamento da memória para a placa de vídeo e para outros dispositivos que requerem memória.

 

Ativando o modo PAE no Windows XP

– USE POR SUA CONTA E RISCO!

1. Abra o arquivo C:\BOOT.INI. Ele deve contar algo parecido com isso:

[operating systems]
multi(0)disk(0)rdisk(0)partition(1)\WINDOWS=”Microsoft Windows XP Professional” /fastdetect

2. Duplique a última linha de modo a se parecer com o seguinte:

[operating systems]
multi(0)disk(0)rdisk(0)partition(1)\WINDOWS=”Microsoft Windows XP Professional” /fastdetect
multi(0)disk(0)rdisk(0)partition(1)\WINDOWS=”Microsoft Windows XP Professional -PAE” /fastdetect /PAE

(Não copie a linha daqui, use a que está em seu sistema, ou você poderá perder a inicialização!)
Ao duplicar a linha, quando você fizer boot novamente no sistema, você poderá escolher entre o modo normal e o modo PAE. Assim, você pode verificar se, após incluir o parâmetro, se o sistema apresenta algum tipo de instabilidade.

Problemas de compatibilidade de driver induzidos pelo modo PAE
[spoiler]Os problemas de compatibilidade de driver com DEP (Prevenção de Execução de Dados) normalmente são problemas de compatibilidade induzidos pelo modo PAE.

Observação O PAE é exigido somente nos computadores que têm processadores compatíveis com DEP imposta por hardware.

Por conta própria, a DEP pode criar problemas de compatibilidade com os drivers que geram código ou usam outras técnicas para gerar códigos executáveis em tempo real. Muitos drivers como esse teriam sido corrigidos, já que a DEP está sempre ativada para drivers carregados em versões de 64 bits do Windows. Portanto, não há garantia de que todos os drivers tenham sido atualizados. No entanto, há poucos drivers que usam essas técnicas e, por isso, não é esperado que a DEP sozinha cause muitos problemas de compatibilidade de drivers.

A principal preocupação de compatibilidade de driver envolve a execução do modo PAE em computadores de 32 bits. O modo PAE permite que processadores enviem mais de 4 GB de memória. A diferença primária entre os esquemas de paginação de memória PAE e não PAE é o nível adicional de paginação exigido no modo PAE. Há 3 níveis de paginação exigidos no modo PAE, em vez de 2.

Alguns drivers podem não ser carregados se o PAE estiver ativado, porque o dispositivo pode não ser capaz de realizar endereçamentos de 64 bits, ou os drivers podem assumir que o modo PAE necessita mais do que 4 GB de RAM. Tais drivers esperam receber sempre endereços de 64 bits quando estão no modo PAE e os drivers ou os dispositivos não são capazes de interpretar o endereço.

Outros drivers são carregados em modo PAE, mas causam uma instabilidade no sistema ao modificar diretamente as PTEs (entradas de tabela de página) do sistema. Esses drivers esperam PTEs de 32 bits, mas, ao contrário, recebem PTEs de 64 bits em modo PAE.

O maior problema de compatibilidade entre driver e PAE envolve a transferência DMA (acesso direto à memória) e alocação de Registro de mapa. Muitos dispositivos compatíveis com DMA, geralmente adaptadores de 32 bits, não podem realizar endereçamento físico de 64 bits. Quando esses dispositivos são executados em modo de 32 bits, os dispositivos podem endereçar todos os espaços de endereço físico. No modo PAE, os dados podem estar presentes em um endereço físico maior do que 4 GB. Para habilitar dispositivos com tais restrições de funcionamento nesse cenários, a família do Windows 2000 Server e de versões posteriores do Windows fornece buffer duplo para a transação DMA. A família do Windows 2000 Server e de versões posteriores do Windows fazem isso fornecendo um endereço de 32 bits indicado por um registrador de mapa. O dispositivo pode realizar uma transação DMA para o endereço de 32 bits e o kernel copia a memória para o endereço de 64 bits que é oferecido pelo driver. Quando o sistema é executado com o PAE desabilitado, os drivers para os dispositivos de 32 bits nunca precisam que os registradores de mapa tenham um backup de memória real. Isto significa que o buffer duplo não é necessário, já que o espaço de endereço de 32 bits contém todos os dispositivos e drivers. Com base em testes de drivers de dispositivos de 32 bits em computadores com base em processadores de 64 bits, a maioria testados em cliente, os drivers DMA esperam por registradores de mapa ilimitados. [/spoiler]

Veja o vídeo como exemplo:

Fazendo o Windows 32-bit trabalhar com mais de 4GB de memória RAM

Existem alguns “patchs” na Internet que prometem desbloquear esta limitação. Como não se trata de nada oficial, a aplicação dos mesmos fica por sua conta e risco. Um deles foi criado por um grupo hacker Russo e serve apenas para o Windows 7. Você pode encontrá-lo “aqui“. O outro, serve tanto para o Windows Vista quanto para o 7 e pode ser acessado aqui.

Para versões do Windows mais recentes, tente:

DOWNLOAD: CLIQUE AQUI PARA BAIXAR!
SENHA, APENAS DIGITE:
www.themediafire.info

(Alguns antivírus o podem reconhecer como vírus, mas relaxe. Não será!, este patch modifica o Kernel do Windows, somente isso, caso não tenha coragem de usar, não use. Alguns cracks de jogos, por exemplo também são detectados, mas isso nem sempre quer dizer que são vírus).

Fonte: superdownloads

torrentads

cliqueparafazerodownload

160x600
  • Yoshiaki

    Por que nenhum moderador comenta nada da página de pedidos?

By WordPress